Gao Ma Kio Ri e Al D’Emir Ben Ladine

Era uma vez, num país distante do Oriente, uma mulher chamada Gao Ma Kio Ri, que gostava de dizer que era muito, muito rica. Mas isso estava longe de ser verdade. Um dia, ela encontrou o seu príncipe das Mil e Uma Noites. O nome dele era Al D’Emir Ben Ladine. Penalizado com a situação financeira de Gao e, ao mesmo tempo, sedento por mais riquezas, ele propôs à amada que pedisse um empréstimo ao banco do reino da sua mãe, a rainha Di El Ma Housseif.

“Mas eu não posso pagar”, disse Gao.

“A coisa não funciona assim, bobinha”, respondeu Ben Ladine. “Eu conheço bem o pessoal do banco, sou o príncipe, e podemos fazer um ótimo negócio.”

“Podemos?”, Gao estranhou o plural.

“Sim, levanto em seu nome uns três milhões a juros bem mais baixos do que os de mercado e com prazo a perder de vista.”

“Nossa…”

“Depois, investimos escondido o dinheiro em fundos que rendem o triplo ou até mais. A gente paga o empréstimo, ou nem paga, sei lá, e fatura uma grana alta. Partilhamos por igual: um terço para você e o resto para mim.”

“Mas qual será a minha justificativa para pedir o empréstimo?”

”Você diz que é para comprar tapetes voadores para a sua empresa. Você abriu uma empresa, não abriu?”

“Tentei ser empresária… Mas não há tapetes voadores neste país distante do Oriente, só no seu.”

“Hello, esta é uma fábula fabulosa… O que eu, um príncipe das Mil e Uma Noites, estaria fazendo num país distante do Oriente?”

“Te adoro, Ben Ladine!”

“Vem cá, meu bem.”

Fim

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200