O Prêmio de Melhor Chico Buarque do Ano

Chico Buarque ganhou dois prêmios nas categorias brasileiras do Grammy Latino.

Um pelo Melhor Álbum de Música Popular Brasileira e outro pelo Melhor Canção em Língua Portuguesa.

Ninguém protestou.

No Jabuti, anos atrás, houve celeuma por causa do prêmio de Melhor Livro Escrito por Chico Buarque.

O novo Brasil pós-PT. Você CARA A CARA com Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas e convidados. CLIQUE AQUI

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 71 comentários
  1. A melhor música é a orquestrada. Não tem rompante de pessoa querendo exibir a voz e a letra. É uma equipe coesa tocando inúmeros instrumentos musicais com absoluta sincronização. è a música p

  2. Quem liga pro Grammy? Nao foi essa merda que deu premio de melhor banda de “Heavy Metal” pra banda de folk-rock-progressiva Jethro Tull em 1987? Essa academia é recheada de imbecis desde sempre

  3. Só uma pergunta: melhor qual álbum, melhor qual canção? Chico vive do passado, querendo que seja presente. O público nem sabe mais quem foi essa figura, a não ser pela presença nos eventos peti

  4. alguém acompanha grammy latino? e ainda mais a parte em português do grammy latino? é o nicho do nicho, e ninguém está interessado. “apesar de você” já rendeu mais do q merecia… e nunc

  5. Quando era jovem, o Chico roubava toca fitas no Pacaembu, depois descobriram que ele nunca fez uma única música, comprava dos bebados de buteco por ninharia, tá explicado porque hoje é um petralha

    1. Eu tentei ler um livro do tal que ganhou o prêmio Jabuti, não consegui chegar à metade de tão ruim, aí achei que eu era burra, mas notei que pessoas mais inteligentes que eu também desistiram.

  6. Como diz a minha mãe que era fã desse asno,”quem te viu e quem te vê”,outra múmia que vive do passado e gosta de um bom Whisky 18 anos,caviar e estadias em Paris,inacessível para o doutrinado c

  7. Coitado de O Antagonista. O seu bolsonarismo/jacobinismo é tamanho que nem consegue separar o compositor do ativista político. Será que os livros do Sabino são “politicamente aceitáveis”?

    1. Como separar um do outro? Ele mesmo disse que ia embora do país se Bolsonaro vencesse. Estamos esperando, já que Chico Buarque não faz falta alguma. Há 35 anos não grava nada significativo.

  8. O Grammy deve ser politizado e ter Q.I., como qse tudo nesse planeta. Nem ouvi falar da repercussão desse álbum(afora a citação do Barroso d uma frasezinha chinfrim q ódio é primo ñ sei d quem)

    1. Não duvido! Uma vez um compositor desconhecido cujo nome eu não me recordo disse numa entrevista p/ a rádio Câmara que vendeu muitas músicas para famosos.