Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Moro tem de ser Moro

Moro tem de ser Moro
Foto: Adriano Machado/Crusoé

“Se o candidato Moro se dispuser a vestir a fantasia de Bolsonaro 2.0, poderá tirar eleitores do presidente, mas pode também se confundir com os extremistas”, diz Merval Pereira.

“Para avançar no campo da centro-direita, terá de se contrapor ao Bolsonaro de 2022 e reafirmar compromissos que foram abandonados por ele em 2018. Terá de trilhar esse caminho delicado com o cuidado de um equilibrista”. 

Na verdade, a chance de Sergio Moro (foto) é se apresentar do jeito que ele é, sem vestir a fantasia de ninguém. Sua imagem não está associada à de Jair Bolsonaro, embora os lulistas insistam nisso. Ele nunca foi e nunca será igual ao sociopata. Portanto, não precisa ser um equilibrista. Ao contrário: o compromisso com a legalidade, que sua candidatura encarna, não foi firmado em 2018, e sim em 2014, quando a insanidade bolsonarista ainda nem existia.

Moro tem de ser Moro, só isso.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....