Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Temer 'trocou uma ideia com o Alexandre' antes de redigir o pedido de arrego de Bolsonaro

Temer trocou uma ideia com o Alexandre antes de redigir o pedido de arrego de Bolsonaro
Foto: Beto Barata/PR

O acordo costurado por Michel Temer para salvar o mandato de Jair Bolsonaro foi ainda mais obsceno do que se imaginava. 

Em conversa com Sonia Racy, Michel Temer disse que Alexandre de Moraes foi o coautor da carta assinada pelo presidente bananeiro, tendo sido consultado previamente sobre seus termos. Ele disse também que Jair Bolsonaro mudou apenas metade de uma frase.

O pedido de arrego, segundo Michel Temer, partiu do próprio sociopata, sem intermediários:

“Recebi telefonema dele na quarta-feira à noite. Indaguei como é que um presidente da República pode chamar um ministro de canalha. Disse que isso pegava mal para ele”.

Nesse momento, Jair Bolsonaro pediu-lhe para intermediar uma conversa com Alexandre de Moraes, que apura seus crimes. Michel Temer colheu a oportunidade para oferecer seus préstimos, alardeando o acesso privilegiado ao ministro:

“Contei que estava conversando com o ministro do STF e estava disposto a redigir um documento”.

Depois de desligar o telefone, Michel Temer “trocou uma ideia com o Alexandre” e escreveu a carta a ser assinada por Jair Bolsonaro.

“O presidente acabou me ligando na quinta, às 6h30, e me chamou para ir para Brasília”. 

Antes de embarcar, Michel Temer leu a nota pelo celular, e Jair Bolsonaro topou assiná-la integralmente.

“Ele alterou somente metade de uma sentença”.

Mais tarde, no gabinete de Jair Bolsonaro, Michel Temer ligou para Alexandre de Moraes e os três – juiz, investigado e advogado – conversaram pelo viva voz, por quinze minutos.

Mais notícias
TOPO