O Comentarista: Como sabemos que o triplex é de Lula

Advogados, ativistas e até alguns togados podem apelar ao jus sperneandi, mas nada pode apagar as abundantes provas de que o triplex era de Lula.

O Comentarista relembra as sete principais.

1. A (não) escolha de Marisa

Lula e Marisa. Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação

Em ação ajuizada por advogados de Dona Marisa em julho de 2016, está escrito que “a Autora adquiriu (em 2005) uma cota-parte para a implantação do empreendimento então denominado Mar Cantábrico”.

A Bancoop, responsável pelo empreendimento na época, teria reservado ao casal presidencial o apartamento 141, uma unidade padrão, com três dormitórios (um com banheiro) e área de 82,5 metros quadrados.

A obra não andava. Em 2009, o empreendimento foi incorporado pela OAS. Naquele momento, os cooperados poderiam escolher entre duas opções: (1) receber o dinheiro de volta, ou (2) adquirir uma unidade no futuro prédio, abatendo do preço o valor já pago à Bancoop.

Dona Marisa não se manifestou por nenhuma das opções. E quem escreveu isso foram seus próprios advogados:

Em depoimento a Moro, Lula também disse não ter escolhido entre as opções.

A segunda opção (adquirir uma unidade) implicaria novos pagamentos, já que o prédio estava inacabado.

Em carta da Bancoop à OAS datada de 2011 e integrada ao processo que condenou Lula, a cooperativa pede informações sobre a situação de cooperados que ainda não haviam assinado os termos de restituição. No caso do Mar Cantábrico (hoje Solaris), há referência a dois nomes de cooperados que não teriam assinado o termo. Entre eles, não estão Lula e Dona Marisa.

Na sentença, Moro escreveu que a OAS nunca tomou “qualquer iniciativa para retomar a cobrança das parcelas pendentes”.

Isso porque “a situação deles já estava, de fato, consolidada, com à (sic) atribuição a eles do apartamento 174-A, que tornou-se posteriormente o apartamento 164-A, triplex”.

Isso explica também “o fato do imóvel constar como ‘reservado’ na documentação interna da OAS Empreendimentos ou jamais ter sido oferecido ao público para venda”.

Portanto, o apartamento declarado de 82,5 metros quadrados se transformou em um triplex reformado sem qualquer pagamento extra.

2. As reportagens de 2010

Em março de 2010, O Globo publicou a reportagem Caso Bancoop: triplex do casal Lula está atrasado, assinada por Tatiana Farah. O texto foi mencionado por Léo Pinheiro em depoimento a Moro, citado na sentença.

A reportagem, atualizada em 2011, informa que “[o] presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua mulher, Marisa Letícia, são donos de uma cobertura na praia das Astúrias, no Guarujá”. E mais: “Procurada, a Presidência confirmou que Lula continua proprietário do imóvel (…) É nele que a família Lula da Silva deverá ocupar a cobertura triplex, com vista para o mar”.

No dia seguinte à publicação da reportagem em O Globo, o Jornal Nacional levou ao ar a notícia Bancoop não entrega nem o triplex de Lula.

William Bonner diz claramente no vídeo: “Um apartamento triplex do presidente Lula está entre as obras não entregues pela Bancoop”.

 

Este texto continua AQUI, somente para assinantes de O Antagonista+.

Redução de pena de Lula no STJ pode dar fôlego ao petista, mas também fortalece adversários. Entenda. SAIBA TUDO

Temas relacionados:

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. João disse:

    U2UgYSBKdXN0aedhIGRlY2lkaXUgcXVlIGEgZ3JldmUg6SBpbGVnYWwsIG5hZGEgbWFpcyBqdXN0byBjb2xvY2FyIG9zIGdyZXZpc3RhcyBuYSBydWEu

Ler comentários
  1. RAFAEL disse:

    RW5ncmHnYWRvIOkgdmVyIG9zIGFkdm9nYWRvcyBkZXNzZSBjYW5hbGhhIGNvbmRlbmFkbywgYXBlc2FyIGRlIG1pbGlvbuFyaWFtZW50ZSByZW11bmVyYWRvcywgcXVlcmVyIHNlIHZhbGVyIGRlIGFsZ3VucyByZWNhZG9zIHJlY2Fkb3Mgbm8gd2F0c3phcCBuYSB0ZW50YXRpdmEgZGUgdGly4S1sbyBkYSBjYWRlaWE7IHPzcmRpZG9zICEhIQ==

  2. Edu_Brasil disse:

    U2Vy4SBxdWUgYSB2ZXJkYWRlIHJlYWwgaW50ZXJlc3NhIGEgYWxndW5zIG1pbmlzdHJvcyBkbyBTVEY/

  3. Marcelo disse:

    U2UgYXMgcHJvdmFzIHPjbyByZWFsbWVudGUgY29uY2x1c2l2YXMsIHNlcuEgYWluZGEgbWFpcyBsYW1lbnThdmVsIHNlIGhvdXZlciBkZWNyZXRh5+NvIGRlIG51bGlkYWRlIGRhIHNlbnRlbudhIHBvciBpbXByb3ByaWVkYWRlcyBldmVudHVhbG1lbnRlIGF0cmlide1kYXMgYW8ganVpei4=

  4. Carlos disse:

    TuNvIGV4aXN0ZSB1bWEgbe1zZXJhIHByb3ZhISBTb3JyeSwgaXNzbyDpIHVtIGZhdG8sIG7jbyDpIHF1ZXN0428gZGUgb3Bpbmnjby4=

    1. RXNzZSBkaXNjdXJzbyBkZSBmYWx0YSBkZSBwcm92YSDpICBvLm1lc21vIGRvICJnb3JwaSIgLiBO428gc2Ugc3VzdGVudGEuIFVtYSB2ZXJnb25oYS4g

  5. João disse:

    VW0gdHJpcGxleCB0aXBvIE1pbmhhIENhc2EgTWluaGEgVmlkYS4gTWVyZWNlIHByaXPjbyBwZWxvIG1hdSBnb3N0byBlIHBvYnJlemEgZGUgZXNw7XJpdG8g

  6. JOEL disse:

    QWluZGEgYmVtLiBUZW1vcyBxdWUgY29udGludWFyIGFwb2lhbmRvIGEgTGF2YSBKYXRvLCBvdSBvIEJyYXNpbCB2b2x0YSBwYXJhIGFzIHRyZXZhcyBkZSBvbmRlIGNvbWVjYW1vcyBhIHNhaXIuIE9icy46IGZhbHRvdSBjZWRpbGhhIHBvciBkaWdpdGFyIGRlIHNtYXJ0IFRWLg==

  7. PEDRO disse:

    Q2hlZ2EgYSBzZXIgZGl2ZXJ0aWRvIG9zICJjb252ZXJ0aWRvcyJuZWdhcmVtIGNvbSB0YW50YXMgcHJvdmFzLCBxdWUgZXNzZSBzZXIgZGFzIHRyZXZhcyBu428gZXJhIG8gZG9ubyBkbyAidHJpcHJleCIuIEphbWFpcyBkZWl4YXJlbW9zIHRpcmFyZW0gbyAgRHIuIE1vcm8gIGRvIHNldSBsdWdhciEgSkFNQUlTIQ==

    1. SWRlbSBvIFF1ZWlyb3ogcHJvdGXn428gZGUgdmFnYWJ1bmRvcyBlbGVzIHPjbyBjcmFxdWVzLg==

  8. Heitor disse:

    QSBlc3F1ZXJkYWxoYSBicmFzaWxlaXJhIHPzIGVuZ2FuYSBhbGd1bSBjb2l0YWRvIGFuYWxmYWJldG8uIFVsdGltYW1lbnRlIGF06SBxdWVtIG7jbyBzYWJlIGxlciBq4SBkZXNjb25maWEuIEFnb3JhLCBxdWVtIGZpY2EgZGVmZW5kZW5kbyBvIGx1bGFkcuNvIOkgcHEgdOEgZ2FuaGFuZG8gYWxndW0uLi4=

  9. Péricles disse:

    THVsYSBwb2RlcmlhIHRlciBzaWRvIGNvbmRlbmFkbyBhIHBhZ2FyIHN1YSBwZW5hLCBtb3JhbmRvIG5vIGFwYXJ0YW1lbnRvIGVtIHByaXPjbyBkb21pY2lsaWFyIGNvbSB2aXN0YSBwYXJhIG8gbWFyLg==

  10. ALEXANDRE disse:

    THVsYSDpIHVtIGNyZXRpbm8gc2VtIGNhcuF0ZXIu

  11. mara disse:

    THVsYSDpIHVtIGxhZHLjbywgc2FmYWRvICEhISBDb21vIGFudWxhciB0YW50YXMgcHJvdmFzIHJvYnVzdGFzPz8/IFPzIG1lc21vIGVzc2EgbWlkaWEgZXNxdWVyZGlzdGEgZSBlc3NlcyBtaWxpdGFudGVzIGRvZW50ZXMgZSBvcyB0b2dhZG9zIHZlcm1lbGhvcyBwb2RlbSBhY2hhciBwb3Nz7XZlbCAhIS4gTHVsYSBmaWxobyBkbyBkaWFibyEhIQ==

  12. jeronimo disse:

    Q29uZGVuYXIgdW0gY2lkYWRhbyBwb3IgZXNzYSBlc3RvcmluaGEgZGEgY2Fyb2NoaW5oYSBlaCBkZSBsYXNjYXIh

    1. Y2hhbWFyIHVtIHZhZ2FidW5kbyBjb25kZW5hZG8gZSBwcmVzbyBkZSBjaWRhZONvIOkgZGUgbGFzY2FyLg==

    2. TnVuY2Egb3V2aXUgZmFsYXIgZW0gY3JpbWUgZGUgT0NVTFRBQ0FPIERFIFBBVFJJTU9OSU8/IE9icy46IGZhbHRhcmFtIG9zIGFjZW50b3MgcG9yIHRlciBkaWdpdGFkbyBkZSBzbWFydCBUVi4=

    3. UG9ydGVpcm8gcXVlIGZvaSBjYW5kaWRhdG8gcGVsbyBQU0RCLiA=

    4. UGVyZ3VudG8gYW8gcG9ydGVpcm8gcSBmb2kgZGVtaXRpZG8gZGVwb2lzIGRlIGNvbmZpcm1hciBxIGFzIG1vZGlmaWNh5/VlcyBlcmEgcC8gbyBjYWNoYWNlaXJvLg==

    5. UXVhbCBjaWRhZONvLCBvIEx1bGFy4XBpbz8ga2tra2tra2tra2tra2tra2tra2tra2tra2tra2s=

  13. Laranjeira disse:

    RSBxdWVtIG1vcmEgbmEgcmVnaeNvLCDpIHPzIGNvbnN1bHRhciwgc2FiaWEgcXVlIG8gVHJpcGxleCBlcmEgbyBUcmlwbGV4IGRvIEx1bGEuIEUgcXVhbnRvIGFvIGltdW5kbyBkaXplciBxdWUgIm5lbSBnb3N0YSBkZSBwcmFpYSIsIGZhdm9yIGxldmFudGFyIGUgcHVibGljYXIgb25kZSBMdWxhIHBhc3NhdmEgZmVyaWFkb3MuIEVtIHByYWlh