Coronavoucher volta a partir de 1.300 mortes por dia

Coronavoucher volta a partir de 1.300 mortes por dia
Foto: EDU ANDRADE/Ascom/ME

No evento do Credit Suisse, Paulo Guedes disse há pouco que o governo “saberá agir” diante da segunda onda da pandemia da Covid-19.

“Se a pandemia faz a segunda onda, com mais de 1,5 mil, 1,6 mil, 1,3 mil mortes, saberemos agir com o mesmo tom decisivo, mas temos que observar se é o caso ou não.”

A declaração foi no contexto do pagamento do auxílio emergencial, que acabou na virada do ano. Segundo Guedes, se a pandemia continuar avançando e a vacinação fracassar, o governo federal terá de recorrer novamente ao benefício.

“Se a doença volta, temos um protocolo de crise, que foi aperfeiçoado.”

Guedes afirmou, porém, que é preciso ter responsabilidade, porque “apertar esse botão” tem um preço.

“Você aperta um botãozinho. Você desindexa, desvincula, e ao longo dos anos o aumento de receitas vai recuperando.”

Leia mais: Quem são os diretores da agência que darão o veredicto sobre as vacinas a serem aplicadas nos brasileiros
Mais notícias
TOPO