A lorota do país organizado

Depois que Dilma Rousseff, a ex-guerrilheira de esquerda, assumiu o poder, esvaziou-se o papel das agéncias reguladoras, criadas para mediar o interesse público e privado e assegurar o cumprimento dos contratos entre o governo e as empresas que prestam serviços estratégicos ao país, desde que ocorreram as privatizações no governo FHC.
O cenário é de desolação e, por tabela, de grande insegurança entre os empresários desses setores. Para ter uma ideia do descaso — que só pode ser intencional –, eis alguns dados repassados a O Antagonista:
a) Há quase três anos a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) tem 3 diretores interinos, de um total de 4
b) A Agéncia Nacional de Aviação Civil  (Anac) não terá, em breve, quórum para deliberar sobre quaisquer assuntos delicados
c) Tanto a Agência Nacional de Saúde Suplementar como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estão com presidentes substitutos
Depois querem vender a lorota de que o Brasil é um país organizado e com ambiente propício a investimentos em parceria com o governo.

Faça o primeiro comentário