"A retomada vai ser lenta"

“A retomada vai ser lenta”
Divulgação

A retomada da economia brasileira “vai ser lenta”, segundo Alfredo Setubal, presidente da Itaúsa.

Ele disse para o Estadão:

“Antes, a gente pensava que, se o Brasil crescesse de 2% a 3%, estava ótimo. Agora a gente mal vê esses 2% – a não ser no ano que vem, porque a base de comparação vai ser muito fraca. E o Brasil não cresce muito porque sai da crise mais fragilizado, com a dívida subindo e pressão para aumentar gastos. O crescimento potencial é de 1% a 2% ao ano, não mais do que isso (…).

A retomada vai ser lenta, porque a economia do Brasil é dividida assim, a grosso modo: 25% estão com o agronegócio, que vai muito bem; 15%, com a indústria; e 60% ficam com o setor de serviços. E isso vai demorar a recuperar: viagens, hotéis, restaurantes, cinema, teatro… Vamos ver o desemprego ainda muito alto, para depois reduzir aos poucos. E o cenário internacional também é complicado, não deve ajudar.”

Leia mais: Sócios no desastre: a responsabilidade dos governadores na pandemia. Clique aqui para ler mais
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO