A sentença de morte do Brasil

O Brasil assina uma sentença de morte ao emitir títulos da dívida com taxa de juro real (descontada a inflação) entre 6% e 7% enquanto o PIB encolhe. Esta é a visão do bilionário gestor de títulos de renda fixa global Bill Gross, que dedicou ao Brasil parte de seu relatório de fevereiro. Para ele, o país “engana o mundo” ao rolar US$ 100 bilhões em swaps cambiais e, simultaneamente, ostentar US$ 300 bilhões em reservas.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200