Adesão do Brasil à OCDE será concluída na gestão Bolsonaro, diz secretário

O secretário de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, Marcos Troyjo, prevê concluir a adesão do Brasil à OCDE, o clube dos países ricos, ainda no que chamou de “primeira administração” de Jair Bolsonaro, informa o Estadão.

Segundo o secretário, a adesão tem três grandes vantagens: acelera as reformas ao fortalecer as instituições, “vira a chave do cofre” de fontes que hoje enfrentam restrições para aplicar o dinheiro no Brasil e permite a participação em acordos em outras esferas, além de tarifas e cotas.

Para Troyjo, a mudança de poder na Argentina, de Mauricio Macri para Alberto Fernández, ajudou a acelerar o processo de apoio dos EUA aos brasileiros.

“Num momento em que a Argentina tem uma inflexão e todas as suas sinalizações de política pública parecem se afastar dos princípios que são preconizados pela OCDE, é apenas natural que a maior economia da OCDE tenha que priorizar outro candidato, que no caso é o Brasil.”

Comentários

  • Giovanina -

    Será no primeiro ou no segundo mandato do Bolsonaro, vocês têm ideia?

  • Kalá -

    Hmmm ... explica estas três vantagens DESENHANDO para os três porqu1nh0s 1m11nd0s : NhoNho, Batoré, e Toffolino. ELES NÃO SABEM !!!

  • Suzuki -

    argentina tomou no lombo kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Ler 12 comentários