A agonia da Previdência

A reforma da Previdência agoniza de vez. Até os governistas mais otimistas acham que não vai dar para aprovar a PEC, mesmo enxuta, neste ano.

São três os principais motivos elencados por articuladores ouvidos pela Folha de S. Paulo:

— A impopularidade da reforma;

— A desorganização da base aliada;

— O prazo apertado até o recesso do fim de ano.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler 16 comentários
  1. O relator da CPI da Previdência, o senador Hélio José (Pros-DF), apresentou o relatório final da comissão, que investigou as contas de seguro social do país. O texto declara que “tecnicamente, é possível afirmar com convicção que inexiste deficit da Previdência Social ou da Seguridade Social”. A conclusão vai contra a constatação do TCU, que informou que o deficit previdenciário somou R$ 226,9 bilhões em 2016. Esse valor considera o rombo do INSS e do regime dos servidores da União. Em vários trechos do relatório, o senador argumenta que as projeções sobre o tema apresentadas pelo governo não estão de acordo com a realidade e que elas foram construídas para justificar uma reforma que ele classificou como “drástica”. “São absolutamente imprecisos, inconsistentes e alarmistas, os argumentos reunidos pelo governo federal sobre a contabilidade da Previdência Social”, escreveu.

  2. com isso vai minar a confiança do investidor, bolsas vão cair, inflaçÃo e juros vão subir, dólar vai disparar, movimento ja começou. o fluxo e a abundância de liquidez no mundo vai sair da rota daqui, com isso agrava-se o desemprego e o sofrimento e bem estar do povo, pois o governo com défices recorrentes ano a ano, não possui capital para investir na economia e a iniciativa privada sem o mínimo de confiança retrai o investimento, dinheiro migra para ativos seguros. as vezes so com sofrimento as pessoas apreendem….. lastimável ver que o brasil vai passar por isso, não so por culpa do governo, mas do povo e da mídia tb.

  3. Precisamos sim discutir a previdência, mais não vejo nenhum empenho em discutir outro mostro que consome o orçamento que é o Juros da dívida pública. Juros sobre juros

  4. Toda essa saliva gasta para tentar passar a ideia de que a aprovação dessa benesse aos fundos privados é viável em 2018. Começou a nova ladainha goebbeliana. Patético.

  5. Estou vendo que nós, os aposentados, somos uma pedra de tropeço para a Presidência da República e para os corruptos. Tenho duas soluções: ou se mata todos corruptos que é melhor sugestão ou matem todos nós aposentados. Pagamos a vida toda, por mais de 35 anos, para ter uma vida “digna” para comprar remedios e alimentação e agora somos um estorvo para o governo. Não tem dinheiro para nos mamtermos. Conta outra seus desonestos.

  6. Barnabés devem agradecer ao Janoesley. Ano que vem vamos ter outro rombo na previdência, mas quem se importa com a saúde da “viúva”?? O país perdeu a chance de fazer a reforma com um governo de transição, mas se o país melhorar acaba o discurso da esquerdalha para os jumentos!!

  7. A reforma da previdência não passa pela simples razão de que será inócua em poucos anos. Somente os trabalhadores menos afortunados pagarão o pato. Na esfera pública e nos escalões mais elevados, a farra é generalizada e nenhuma reforma é cogitada para eles. Um funcionário público aposentado custa, em média, mais de 12 vezes à previdência do que um trabalhador do setor privado.

  8. Também é certo que as quadrilhas encasteladas no poder que se utilizam dos milhares de funcionários públicos para ganhar eleições, não vão querer ficar de mau com eles colocando o mesmo teto das aposentadorias do setor privado para eles. Além disso ainda tem muita corrupção para ser esclarecida nas novas delações. Por enquanto o Gedel está sendo defendido por advogados que podem estar do lado deste governo e vão orientar a não fazer delação. Mas quando descobrir que será levado a condição de chefe da quadrilha a casa vai cair. Também tem o Rocha Loures e sua malinha de 500 mil. Na frente do Juiz Sergio Moro o desespero vai bater. E ainda tem os aumentos de pena do TRF4.

  9. Paciência. O Brasil será rebaixado, o dólar e consequentemente a inflação subirão e o desemprego voltará aaumentar, aumentando mais ainda a crise da previdência.

    1. O gado nunca estudou direito tributário e acredita no que a midia fala a propria cpi feita provou que nao tem deficit e sim ma gestão

Os comentários para essa notícia foram encerrados.