BC intervém três vezes no dólar, mas não impede alta

O Banco Central precisou intervir três vezes no mercado de câmbio, ao longo desta sexta-feira, para conter a valorização do dólar.

Para tanto, recorreu a um instrumento que não usava desde abril: o swap tradicional, que corresponde a uma venda futura de dólar.

A artilharia, porém, não foi capaz de conter uma nova alta de 0,92% da moeda americana, que fechou cotada a R$ 3,3923. Antes das intervenções do BC, porém, a cotação chegou a R$ 3,50 – um salto de 4%.