Bolsonaro e o dilema do coronavoucher

Bolsonaro e o dilema do coronavoucher
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jair Bolsonaro não negou hoje uma nova rodada de coronavoucher: disse somente que não deixará que “medidas temporárias” se tornem “permanentes”.

“Não vamos deixar medidas temporárias relacionadas com a crise se tornem compromissos permanentes de despesas.”

O presidente participa, nesta manhã, de evento do banco suíço de investimentos Credit Suisse.

“No âmbito fiscal, manteremos firme o compromisso com o teto de despesas”, afirmou Bolsonaro.

Ele disse também que “2020 foi desafiador” e que o Brasil já estaria recuperando o “dinamismo econômico”.

Leia mais: A causa desse desgoverno é política, como mostra a Crusoé desta semana.
Mais notícias
TOPO