Castello Branco: "Os preços são formados pela oferta e demanda global"

Castello Branco: “Os preços são formados pela oferta e demanda global”
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Ainda na apresentação que fez hoje a analistas do mercado sobre o resultado da empresa no quarto trimestre de 2020, o ainda presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, defendeu mais de uma vez a política de preços de combustíveis da estatal.

“É surpreendente em pleno século XXI dedicarmos tanta atenção ao assunto de paridade de preços. Os preços são formados pela oferta e demanda global e não há como se desviar deles. A experiência de fugir da paridade de importação foi desastrosa, a Petrobras perdeu US$ 40 bilhões com isso.”

Como registramos há pouco, Castello Branco também disse que não há exagero nos preços de combustíveis no Brasil, apesar dos altos impostos.

“A Petrobras ainda é uma empresa muito endividada. Como vai conciliar obrigações em dólares com receitas em reais? (…) Esse é mais um efeito perverso do descolamento dos preços de paridade. O preço não é caro nem barato, é o preço de mercado.”

Jair Bolsonaro, como sabemos, decidiu interferir na Petrobras e chutou Castello Branco para colocar no lugar o general Joaquim Silva e Luna.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie a o jornalismo independente.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO