ACESSE

Com apoio do Centrão, Guedes chama líderes da Câmara para discutir reforma tributária

Telegram

Líderes partidários têm recebido ligações de auxiliares de Paulo Guedes para agendar uma reunião em torno da reforma tributária na próxima semana.

O ministro tem tomado as rédeas na articulação política da proposta. Só nesta semana, Guedes se reuniu com Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre e dois caciques do Centrão –Arthur Lira e Wellington Roberto– para discutir o assunto.

O principal desafio de Guedes é conseguir apoio suficiente para o Congresso aprovar a criação de uma nova CPMF. A ideia é taxar transações financeiras, com alíquota entre 0,2% e 0,4%, para desonerar a folha de pagamento.

O Antagonista apurou que, por ora, o Centrão está dividido.

Maia, em gesto de pacificação, almoçou com Guedes na quarta-feira (15), como registramos. No encontrou, não se falou em nova CPMF. E depois, no Twitter, o presidente da Câmara escreveu: “Não há espaço para debater uma nova CPMF. Nossa carga tributária é alta demais, e a sociedade não admite novos impostos, independentemente de qual seja.”

Arthur Lira, líder do PP, tem dito nos bastidores que o imposto sobre transações financeiras, com alíquota baixa, não seria difícil de ser aprovado. Já outras siglas do Centrão, como Republicanos e PL, têm as bancada mais divididas.

“A princípio, o sentimento de todos nós é contra a gente aumentar impostos, mas vale fazer uma discussão mais profunda. A leitura é que esse modelo de imposto é até justo. Antes, tinham as transações de cheques, de operações. Quer queria, quer não, o mundo mudou. Agora, pagamos pelo celular, computador. É até admissível [aprovar a nova CPMF], se desonerar outro imposto na mesma proporção. Esse debate é possível”, disse um deputado do Centrão a O Antagonista.

(Brasília - DF, 07/01/2019) Palavras do Ministro de Estado da Economia, Paulo Roberto Nunes Guedes.

Leia mais: Exclusivo: a casa secreta de Brasília onde ministro conspira contra ministro

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 42 comentários