ACESSE

Conflito entre Rússia e Arábia Saudita derruba preço do petróleo

Telegram

Os preços do petróleo sofreram um colapso histórico neste domingo (8), depois que a Arábia Saudita iniciou uma guerra de preços contra a ex-aliada Rússia.

Nos Estados Unidos, o preço chegou a cair 34%, chegando a US$ 27,34 o barril, nos números da CNN.

Inicialmente, a Arábia Saudita desejava reduzir a produção, para manter os preços em face da queda da atividade econômica causada pela epidemia do novo coronavírus.

A Rússia, no entanto, não concordou. Segundo entrevistados ouvidos pelo Financial Times e pelo New York Times, os russos preferem manter os preços baixos, com o objetivo de prejudicar a indústria americana de petróleo de xisto. Muitas dessas empresas estão endividadas e precisam de novos financiamentos. Também conquistaram clientes que eram da Rússia.

Em setembro de 2018, os Estados Unidos ultrapassaram a Arábia Saudita e se tornaram o maior produtor mundial de petróleo, retomando o posto perdido em 1973.

Como a Rússia não aceitou a proposta de reduzir a produção, a Arábia Saudita decidiu elevar agressivamente sua produção de petróleo, para conquistar novos clientes e aumentar seu market share.

A Arábia Saudita é o maior exportador do mundo. Produz hoje cerca de 9,7 milhões de barris por dia, mas tem capacidade vender 12 milhões diariamente.

Leia também: Central de espionagem no Planalto?

Comentários

  • Enilze -

    O terceiro parágrafo precisa ser reescrito, ficou confuso.

  • Teresa -

    Coronavírus se apanhou no mundo graças ao cerceamento de informação de uma ditadura e agora essas duas ajudam a prejudicar o mundo inteiro. Só aqui é que tem gente pedindo intervenção na democracia.

  • Gustavo -

    Agora Maduro cai...

Ler 10 comentários