“Congresso empoderado”

Darcísio Perondi, o relator da PEC 241, insistiu hoje no que já sabemos e estamos cansados de repetir aqui: saúde e educação não perderão recursos com a proposta de limite de gastos.

Para acalmar os petistas e seus cúmplices, o deputado confirmou que o texto final determinará que o teto para para saúde e educação valerá somente a partir de 2018. E lembrou que, no ano que vem, os parlamentares poderão aumentar o piso de investimento nessas duas áreas.

“O Congresso ficará empoderado para aumentar os recursos destinados à educação e à saúde. Os outros órgãos não terão essa prerrogativa.”

Resta saber se a referência ao “empoderamento” foi uma ironia com essa gente da esquerda.