Conselho de administração da Embraer ratifica acordo com a Boeing

O conselho de administração da Embraer ratificou hoje os termos do acordo com a Boeing, registra o G1.

Agora, o negócio firmado entre a empresa brasileira e a americana precisará do aval dos acionistas e das autoridades regulatórias para ser concretizado.

De acordo com a Embraer, se as aprovações ocorrerem no tempo previsto, as negociações devem ser concluídas até o fim de 2019; o negócio é avaliado em US$ 5,26 bilhões.

Ontem, Jair Bolsonaro informou que não vetará o acordo entre entre Boeing e Embraer. O governo federal é dono de uma “golden share” da companhia –ação especial que lhe dá poder de veto nesses casos.

O sucesso (ou insucesso) do 'posto Ipiranga' vai determinar se o Brasil se entrega ao passado de vez ou se nos lançamos ao futuro. LEIA AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 11 comentários
  1. Um negócio de U$5,26 bilhões, importante para o país, necessita de tanta negociação.Lembremos, como comparação, o PT gastou mais em estádios, obras para cupinchas feitas belo BNDES, fora o ro

  2. Demorô hein!! Os milicos fizeram uma baita c@g@d@ em 1980 quando impuseram a palhaçada da Resersa de Informática. Com ela, atrasaram 20 anos o desenvolvimento tecnológico do Brasil!!

  3. o lamentável comentário de bolsonaro sobre o acordo boeing/embraer só serviu para um grupo ( o de sempre) ganhar uma grana na bolsa de valores! a ninguenzada continua a ver navios!!!!!

  4. Sou pró-USA e contra-Rússia, mas pressinto perda dessa empresa. Se a cláusula que determina possibilidade de venda do resto da empresa para a Boeing, veremos uma nova McDonnell Douglas a desaparece