Corte do auxílio emergencial para R$ 300 colocou 11,6 milhões na pobreza, mostra estudo

Corte do auxílio emergencial para R$ 300 colocou 11,6 milhões na pobreza, mostra estudo
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A redução do auxílio emergencial de R$ 600 para R$ 300 e a inflação colocaram 11,6 milhões de pessoas na pobreza desde agosto, informa o Globo.

O cálculo, feito por economista da FGV, mostra que a parcela de pobres (renda domiciliar per capita de até R$ 455 por mês) chegou a 24,12% em novembro. Em agosto, era 18,42%.

“Vai haver um grande pulo entre dezembro e janeiro, com aumento muito intenso da pobreza. Já estamos vendo isso ao longo dos últimos meses, de uma maneira mais gradual, porque as pessoas foram conseguindo o auxílio aos poucos. Está havendo alguma recuperação no mercado de trabalho, mas não o suficiente para compensar o auxílio”, disse o economista e pesquisador Daniel Duque.

A redução do auxílio emergencial, segundo o estudo, reduziu o valor per capita dos beneficiários de R$ 134,46 para R$ 75,34.

“Se houver piora da pandemia, com novas restrições, o primeiro trimestre vai ser muito difícil, com aumento da pobreza e da desigualdade.”

Leia mais: Na edição especial do final deste 2020 tão desafiador, a revista tem a honra de publicar conteúdos de articulistas brilhantes e com atuação importante nas suas especialidades.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 16 comentários
TOPO