Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Déficit em transações correntes chega a US$ 4,5 bilhões em outubro

Segundo dados do Banco Central, os investimentos diretos no país (IDP) alcançaram US$ 2,5 bilhões no mês; rombo de novembro é estimado em US$ 7,8 bilhões
Déficit em transações correntes chega a US$ 4,5 bilhões em outubro
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

As transações correntes do balanço de pagamentos registraram déficit de US$4,5 bilhões em outubro, segundo dados divulgados há pouco pelo Banco Central. Os investimentos diretos no país (IDP) alcançaram US$ 2,5 bilhões no mês.

O BC estimou que o déficit em transações correntes em novembro será de de US$ 7,8 bilhões e IDP de US$ 3,9 bilhões. Até o dia 22 deste mês, o fluxo cambial ficou negativo em US$ 5,5 bilhões.

Esses dados são importantes porque mostram as transações do país com o exterior e sinalizam se o Brasil é dependente de capital estrangeiro. Com baixa taxa de poupança, a economia brasileira sempre dependeu do dinheiro de outras nações.

Esses recursos chegam ao Brasil, basicamente, por meio de exportações, investimento direto no país e capital especulativo.

Quanto maior é a entrada de recursos decorrentes de exportações e de investimento direto, melhor. Significa que os investidores fazem aplicações na economia real e têm interesses de longo prazo. No caso do capital especulativo, os recursos podem ser retirados por qualquer motivo, sem qualquer explicação.

A dependência de dinheiro estrangeiro diminuiu depois que o governo aumento o nível de reservas internacionais, que chegaram a US$ 367,9 bilhões em outubro. Com isso, o país se tornou credor em dólar e pode gastar essa poupança para evitar grandes oscilações no preço da moeda americana.

Mais notícias
TOPO