E se as grandes empresas quebrarem?

Qual soma sairia dos cofres públicos para resgatar uma Petrobras, um BNDES ou uma Caixa? E os Estados, que já atrasam o pagamento dos servidores? Alguns bancos e gestoras de recursos começaram a fazer as contas de quanto custaria ao Brasil se grandes empresas começarem a quebrar. Segundo cálculos do FMI, no Brasil, os chamados passivos contingentes custam, em média, 8,3% do PIB.