É só torcida

Um deputado governista que participou do jantar ontem com Michel Temer para tratar da reforma da Previdência disse a O Antagonista que as declarações oficiais de que é possível aprovar a proposta ainda neste ano é mais torcida do que uma real mudança no placar.

“O clima do debate melhorou. Mas daí a dizer que isso vai se traduzir em voto é outra história.”

Comentários

  • Fábio -

    O ano já acabou, o Congresso não vai trabalhar em dezembro, não. Volta em fevereiro, carnaval no meio, todos de olho na eleição em outubro..... vai ficar para a próxima legislatura/governo, mesmo. E é preciso atacar a verdeira pedra no sapato que é o tempo de contribuição: 49 anos pode ser muito, mas o mínimo de 15 anos também é irrisório.....

  • pedra -

    Espero que seja. Pq aqui no RJ farei torcida e vou marcar quem votar nessa coisa que apresentaram. Querem mesmo é reduzir todo mundo a 1 até 3 salários. Pois bem, governo não dá emprego. Dá asistencialismo, querendo voto. Aqueles que podem empregar, pedreiros, pintores, estofadores, domésticas, vão deixar de fazê-lo. Aquele que contibui com 1 salário para o INSS vai colocar na previdência privada. E com 68, 70 anos pede o LOAS. Fica com dois salários. Não ataca a evasão fiscal, mas obriga os funcionários da administração direta a descontar 27.5% na fonte. Não diminui os cargos comissionados, aliás aumentou. Dá isenção fiscal a balde, não fiscaliza as aposentadorias rurais, que é um baú de votos para os políticos e ainda por cima, não tem controle sobre a casta superior da administração.

  • Vladimir -

    Quais as raízes de o antagonista, qual é a editora ?

Ler 16 comentários