Economia se nega a informar quanto bloqueou de ministérios para investir em obras

Economia se nega a informar quanto bloqueou de ministérios para investir em obras

O Ministério da Economia se negou a passar informações sobre o remanejamento orçamentário feito na Esplanada para garantir R$ 6,5 bilhões em obras este ano.

O Antagonista solicitou a informação, mas a assessoria da pasta disse que “não irá se pronunciar”.

Como mostramos, Jair Bolsonaro mandou Paulo Guedes arranjar R$ 6,5 bilhões para investir em obras do plano Pró-Brasil este ano. O valor será dividido entre o Ministério da Infraestrutura e o Ministério do Desenvolvimento Regional.

Pelo acordo construído pelo Planalto, parlamentares da base do governo poderão indicar a destinação de cerca de R$ 3 bilhões.

Em um primeiro momento, Guedes avaliou liberar o dinheiro por meio de uma medida provisória com crédito extra. Rodrigo Maia e Bruno Dantas, do TCU, afirmaram que o ato seria inconstitucional, por não haver urgência para a autorização do dinheiro extra.

A Economia, então, decidiu fazer um remanejamento. O Ministério da Educação, por exemplo, teve R$ 1,5 bilhão bloqueados para a investida de Bolsonaro.

Já o Ministério do Meio Ambiente perderia R$ 60 milhões com a medida, mas Ricardo Salles reclamou do corte, causou um mal-estar no governo e conseguiu evitar o corte.

Leia mais: O DNA da corrupção
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 46 comentários
TOPO