Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Entenda o impacto do tabelamento do ICMS no preço dos combustíveis

Arthur Lira estima redução de até 8% no preço dos combustíveis com medida. Especialistas avaliam gasolina continuará cara com alta do dólar e do petróleo
Entenda o impacto do tabelamento do ICMS no preço dos combustíveis
Foto: Roque de Sá/Agência Senado

A Câmara aprovou ontem uma mudança na regra de cálculo do ICMS. Como mostrou O Antagonista mais cedo, Arthur Lira comemorou a medida e promete uma redução de até 8% no preço dos combustíveis nas bombas. Especialistas, entretanto, avaliam que a valorização do dólar e do petróleo manterão os valores da gasolina do diesel em alta.

Hoje, o tributo cobrado pelos estados tem como base o preço médio da gasolina, do diesel e do etanol nos 15 dias anteriores.

Pelo projeto aprovado pela Câmara, os estados serão obrigados a considerar o preço médio dos combustíveis em 2020 e 2021 ao fazer a cobrança do ICMS ao longo de 2022.

Lira embarcou na narrativa de Jair Bolsonaro, que afirma que o preço dos combustíveis é alto porque os estados têm liberdade para definir a alíquota de ICMS.

Tanto Bolsonaro quanto Lira culpam a Petrobras e os estados pelo aumento no preço dos combustíveis. Mas os dois omitem que as barbeiragens políticas e econômicas do governo e do Congresso têm afetado o preço do dólar.

Como o petróleo é uma commodity, as variações cambiais afetam o preço dos combustíveis. Assim, a cada bobagem dita por Bolsonaro ou por Paulo Guedes, o real perde valor em relação ao dólar e encarece o valor da gasolina e do diesel.

Mais notícias
TOPO