FMI: Brasil deve se preparar para prorrogar auxílios

O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou um relatório nesta manhã em que afirma que o fim de estímulos econômicos, como o auxílio emergencial, vai reduzir o consumo das famílias durante a pandemia e afetar a recuperação econômica do Brasil.

Na avaliação do FMI, o país vai sofrer com uma retirada abrupta das medidas de estímulo à economia.

As autoridades brasileiras, segundo o relatório, devem fornecer apoio adicional na área fiscal –inclusive com novos cortes da taxa básica de juros, a Selic, que está em 2% ao ano.

“Os efeitos persistentes da crise da saúde e a retirada esperada do apoio fiscal irão restringir o consumo, enquanto o investimento será prejudicado pela capacidade ociosa e alta incerteza.”

E o relatório completa:

“A maioria dos diretores [do Fundo] enfatizou que as autoridades devem estar preparadas para fornecer apoio direcionado adicional e saudou a disposição das autoridades em considerar esta possibilidade. Vários diretores também alertaram contra uma retirada abrupta do apoio fiscal.”

Leia mais: A revista que fiscaliza TODOS os poderes e conta com os melhores colunistas do Brasil.
Mais notícias
TOPO