Goldfajn: "Se você persistir nas reformas, vai chegar lá"

Ilan Goldfajn, ex-presidente do Banco Central, em entrevista ao Estadão, demonstrou otimismo em relação à economia brasileira e projetou um crescimento de 2,5% do PIB em 2020.

Segundo ele, que hoje é presidente do conselho do Credit Suisse, ao Brasil deve continuar no caminho das reformas para consolidar a recuperação econômica.

“Se o Brasil mostrar que está recuperando o crescimento, numa agenda de reformas, pode chamar atenção e o investimento vir. De fato, a recuperação do crescimento, que é modesta, veio sem dinheiro estrangeiro. Tudo foi realocação de renda fixa para ativos reais e de política fiscal para política monetária. Atrair investimento vai depender de a gente conseguir ter – o que acho a palavra mais importante hoje – persistência. Se você persistir nas reformas, vai chegar lá”, afirmou Goldfajn.

Ele disse ainda:

“O que levou à aprovação da reforma da Previdência foi a percepção de que ela era necessária para consolidar o fiscal, para se ter taxa de juros menor e voltarmos a crescer. O país voltou a crescer, mas ficou em 2,5%, anualizado. Talvez isso leve a uma discussão de que temos de fazer mais, como reformas tributária e administrativa. Tenho a impressão de que, conforme crescermos 2,5% e o desemprego cair, pode haver um estímulo para as mudanças continuarem. Crescer mais vai depender da capacidade de tirar obstáculos. Tenho uma visão positiva. A gente já galgou dívida externa, hiperinflação, crises cambiais, juros altos. Se fizermos as reformas mais rápido, talvez consigamos acelerar.”

Comentários

  • Raimundo -

    É verdade, pibinho de 0,8 e em 2020 quem sabe - 0,8.

  • mineiríssimo -

    Os comentários em sua maioria são perdidos. Brasileiro da esquerda torce contra o país. Mas vai dar certo. Basta persistir.

  • Sueli -

    Para persistir nas reformas, falta combinar com o Congresso.

Ler 21 comentários