Governadores se recusam a baixar ICMS para reduzir preço de combustível

Governadores de cinco estados e do DF redigiram um manifesto em que acusam o governo federal de tentar “socializar com os estados a responsabilidade” sobre os preços dos combustíveis, informa Thais Arbex, do Painel da Folha.

Eles alegam que cabe à União “equacionar o que está em sua governança como acionista majoritária da Petrobras”.

Os governadores de Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Tocantins e Distrito Federal dizem que não aceitam propostas que podem impactar sua arrecadação –ou seja, reduzir as alíquotas do ICMS.

“Os estados signatários apenas discutirão medidas que signifiquem perda de receitas […] se a União compensar tais perdas”, diz o manifesto.

 

Comentários

  • Mário -

    Os políticos de uma maneira geral são uns vermes e pouco estão preocupados com a população. Só pensam em se eleger para continuar a roubar. A batata deles está assando e como são primários nem estão sentindo que está chegando a um limite insuportável. Daqui a pouco teremos uma nova Grécia e aí vai ser um salve-se quem puder. Eles continuam a esticar a corda. Temer fez isso agora e pensa que está tudo bem. A conta, jogou para o futuro e para nós pagarmos. Só podia ter o mesmo comportamento dos seus ex-companheiros Lula e Dilma.

  • Luiz -

    São todos farinha do mesmo saco, está na hora de mudar de cabo a rabo.

  • francisco -

    Apesar de parecer lógica, a posição dos governadores é oportunista. O aumento dos preços dos combustíveis pela regra atual da Petrobrás lhes proporciona receita extra, obviamente não planejada, um plus, portanto, às receitas programadas. Reduzir o ICMS nessas condições não lhes trará reflexos negativos para o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Ler 118 comentários