Governo precisa cortar R$ 20 bi para cumprir teto de gastos em 2021, diz IFI

Governo precisa cortar R$ 20 bi para cumprir teto de gastos em 2021, diz IFI

O governo terá de cortar R$ 20,4 bilhões em despesas no Orçamento de 2021 para cumprir o teto de gastos, segundo as contas da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado.

Em relatório divulgado hoje, a IFI destacou que é alto o “risco de rompimento” do teto em 2021.

Na avaliação da instituição, a previsão de despesas feita pelo Ministério da Economia está subestimada.

Só com benefícios previdenciários, por exemplo, o governo calcula gastar R$ 704,4 bilhões em 2021. O órgão ligado ao Senado projeta a despesa em R$ 731,3 bilhões.

O teto de gastos em 2021 será de R$ 1,485 trilhão, mas, segundo os cálculos da IFI, o governo terá R$ 1,506 trilhão de despesas no próximo ano. Por isso a necessidade de cortar R$ 20,4 bilhões.

Além do elevado risco de rompimento do teto, a IFI sinaliza que a redução das despesas discricionárias pode causar um shutdown (paralisia da máquina pública) em 2021.

“Em termos gerais, a projeção da IFI para a despesa obrigatória é superior à do governo, o que reduz, no nosso cenário, o espaço para realização das despesas com custeio administrativo e investimentos, entre outras necessárias ao funcionamento da máquina”, disse a IFI.

“O essencial é que se preserve a noção de controle da despesa pública e da necessidade de se ter instrumentos suficientes para estimular a aprovação e reformas que contenham a evolução do gasto obrigatório e permitam atender às demandas por novos gastos prioritários, cortando os excedentes ou pouco eficientes, a partir de avaliação técnica”, concluiu.

Leia mais: Por que NÃO aceitamos publicidade de governos e estatais
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 21 comentários
TOPO