Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Inflação global e baixo crescimento preocupam investidores; bolsas caem

Investidores mostraram pessimismo após surpresas negativas com resultados de indicadores da Europa. Encomendas à indústria da Alemanha recuaram 7,7%
Inflação global e baixo crescimento preocupam investidores; bolsas caem
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP - 19.03.2019: Pessoas observam a movimentação do índice BOVESPA na Bolsa de Valores de São Paulo na região central da capital paulista. (Foto: Bruno Rocha /Fotoarena/Folhapress)

Os mercados globais operam em queda nesta quarta-feira (6). Em relatório aos clientes, o Bradesco afirmou que as principais bolsas do mundo caem diante das preocupações com a inflação global, o impasse em torno do teto da dívida nos Estados Unidos e os próximos passos do FED, o banco central americano.

Segundo a instituição financeira, os investidores também estão de olho na atividade global, após surpresas negativas com resultados de alguns indicadores da Europa.

“As encomendas à indústria da Alemanha recuaram 7,7% na passagem de julho para agosto, bem abaixo do esperado (-1,5%). Na Área do Euro, as vendas do varejo cresceram 0,3% em agosto, na margem, frustrando as expectativas do mercado, de alta de 0,8%. Os mercados acionários e os preços do petróleo recuam, ao passo que o dólar se fortalece ante as demais moedas”, escreveram os analistas do Bradesco.

No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (B3) registrava queda de 0,29%, às 15h33. No mesmo horário, o dólar estava em alta de 0,06%, vendido a R$ 5,489.

Os analistas acompanham com lupa as movimentações políticas do Congresso que podem afetar a economia e aumentar as despesas públicas.

“Do lado da política, seguimos acompanhando as discussões do Congresso frente a uma mudança no ICMS para o preço dos combustíveis com objetivo de reduzir o preço ao consumidor na bomba. Estamos vendo uma pressão política nesse sentido, por outro lado tivemos o pronunciamento de alguns nomes da indústria dizendo que é importante que o governo não intervenha. A ver qual será a saída desse impasse”, escreveu aos clientes Pietra Guerra, especialista em ações da Clear Corretora.

Mais notícias
TOPO