Joaquim Levy já era

Queimaram Joaquim Levy.

Leia o relato de O Globo:

“De fiador do segundo mandato de Dilma, Levy se transformou num mal ainda necessário. Com a credibilidade arranhada no Congresso, no mercado e no governo, ele segue no comando porque pior agora seria substitui-lo. Integrantes do governo relataram que, internamente, há decepção com o desempenho de Levy. Esperava-se que o ministro conseguisse ‘blindar’ o governo da avaliação ruim das agências de risco e emplacar medidas austeras com mais habilidade”.

Joaquim Levy continua agarrado à poltrona, fazendo de conta que ainda não percebeu, mas Nelson Barbosa já tomou seu lugar no governo.

O velho ministro da Fazenda, Levy, e o novo, Barbosa

Faça o primeiro comentário