Mantega indicou nomes para o Carf ligados a esquema de corrupção, diz delator

Telegram

Paulo Roberto Cortez, ex-auditor da Receita, disse em delação premiada que Guido Mantega indicou para o Carf, o “tribunal da Receita”, nomes ligados ao esquema de corrupção que visava beneficiar empresas privadas, informam Camila Bomfim e Bernardo Caram, da TV Globo e do do G1.

Para o Ministério Público, o sucesso do esquema dependia da indicação de nomes para posições estratégicas no Carf.

O delator reforçou a acusação do MP de que o ministro petista da Fazenda patrocinou direta e indiretamente interesse privado ao respaldar os nomes indicados pela organização criminosa.

Cortez afirmou que o então conselheiro Valmir Sandri, que dizia ser amigo de Mantega,  convidava pessoas de quem pudesse obter “decisões favoráveis aos seus interesses”. O delator citou dois nomes: Valmar Menezes e Jorge Celso.

A denúncia do MP acusa Mantega de manipular a composição do Carf para que o conselho anulasse uma multa de R$ 57 milhões à Cimento Penha, que teria pago propina em troca. O ex-ministro nega as acusações.

Clique no vídeo abaixo para assistir a um trecho do depoimento de Cortez.

Comentários

  • albatroz -

    Justiça? E quem ainda acredita nisso? As ordálias eram muito mais sérias...

  • Direita -

    Os petistas socialistas comunistas marxistas ateístas escrevem TODOS os dias que a GROBO deve 50 milhões de dívidas ao TESOURO. E nesse interím, o MANTEGA da ORCRIM comandava o roubo de 50 bilhões de centenas de devedores....... É a dialética de MARX.

  • Caio -

    Lembro bem que o Palocci foi preso no lugar deste Italiano de origem Guido Mantega que usou a desculpa da esposa com câncer para se safar. Além de ser o corrupto-mor do PT foi o ministro da fazenda que mais tempo ficou na função (quase 9 anos) e sua alta incompetência resultou na desindustrialização do Brasil e recessão sem precedentes, colocando milhões e milhões de pessoas na miséria e no desemprego. Merece ou não a cadeia?

Ler 28 comentários