ACESSE

Mantega indicou nomes para o Carf ligados a esquema de corrupção, diz delator

Telegram

Paulo Roberto Cortez, ex-auditor da Receita, disse em delação premiada que Guido Mantega indicou para o Carf, o “tribunal da Receita”, nomes ligados ao esquema de corrupção que visava beneficiar empresas privadas, informam Camila Bomfim e Bernardo Caram, da TV Globo e do do G1.

Para o Ministério Público, o sucesso do esquema dependia da indicação de nomes para posições estratégicas no Carf.

O delator reforçou a acusação do MP de que o ministro petista da Fazenda patrocinou direta e indiretamente interesse privado ao respaldar os nomes indicados pela organização criminosa.

Cortez afirmou que o então conselheiro Valmir Sandri, que dizia ser amigo de Mantega,  convidava pessoas de quem pudesse obter “decisões favoráveis aos seus interesses”. O delator citou dois nomes: Valmar Menezes e Jorge Celso.

A denúncia do MP acusa Mantega de manipular a composição do Carf para que o conselho anulasse uma multa de R$ 57 milhões à Cimento Penha, que teria pago propina em troca. O ex-ministro nega as acusações.

Clique no vídeo abaixo para assistir a um trecho do depoimento de Cortez.

Comentários

  • albatroz -

    Justiça? E quem ainda acredita nisso? As ordálias eram muito mais sérias...

  • Diógenes -

    Mantega, economista medíocre, um mero soldado do PT no aparelhamento do estado. Não por coincidência, o ministro da fazenda com maior tempo permanência no cargo. Meliante ordinário !

  • STF -

    Mais um petista/dilmista SEM FORO privilegiado mas protegido pelos vermelhos da Farsa Jato Curitiba, que não é e nunca será preso. Quem ainda se deixa enganar pelos Antagonistas defensores do ENGANOT e seus meninos vermelhos procuradores???

Ler 28 comentários