Marinho volta a admitir mudanças, mas não confirma pontos alterados na reforma

Rogério Marinho voltou a admitir que alguns pontos da reforma da Previdência serão alterados no parecer do deputado Marcelo Freitas, que deverá ser votado amanhã na CCJ da Câmara.

O secretário especial da Previdência, porém, sustenta que as mudanças não terão impacto fiscal.

Ele evitou elencar os pontos que serão mexidos.

“Eu só posso falar do projeto na hora em que o acordo for efetivamente fechado. Vários deputados estão retornando do feriado de Páscoa.”

Bolsonaro Tem Pouco Tempo Para Salvar a Sua Aposentadoria. Você precisa acompanhar de perto essa missão se quiser proteger seu futuro. LEIA AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Roberto disse:

    Cadê a popularidade do governo que tava aqui? O gato da previdência comeu....

Ler comentários
  1. MarcusT disse:

    Rogério.Marimho está escondendo os números da reforma mas o Google não.esconde as investigações que estão em curso sobre você... um absurdo ... podem pedquisar...

  2. Roberto disse:

    Essa reforma deveria parar até que o governo retire o inadmissível sigilo sobre os dados e números da previdência. Isso é uma violência, mas a midia amestrada e jabazista não tá nem aí.

  3. CLECIO disse:

    1ª coisa é acabar com o sigilo dos dados da reforma!!" como vou apoiar se escondem?? por que esconder??

    1. Sigilo de quê ? vai ser votado um projeto sigiloso na Câmara ? como assim ? Os deputados não poderão ter acesso ao projeto ? Alguém me explique...

    2. Mas esconder o quê ? o Projeto não está sendo apresentado na Câmara ? Se já há tanta gente contra e a favor, são contra e a favor de quê ? Ninguem leu ou viu ? Acho que fiquei louco...

  4. joaquim disse:

    Só diminuindo os privilégios e reduzindo o tamanho máquina esta reforma terá algum resultado.

    1. O Bolsonarismo se apropriou rapidamente do termo "privilégio", que foi largamente utilizado pelos petistas na odiosa divisão do país entre "nós e eles".

  5. R.A.F disse:

    Funcionário público tem que trabalhar todos os dias e se estiver em atraso trabalhar em feriados e final de semana como qualquer um da iniciativa privada!

  6. joaquim disse:

    Se os privilégios dos mais bem pagos de manterem isto será uma fraude.

  7. Zoksales disse:

    Espera-se que o governo tenha margem de folga para concessões e que estas não desidratem a reforma.