Mentiras amargas

Dilma Rousseff disse que, para superar os erros cometidos por ela, os brasileiros terão de tomar “remédios amargos”.

Reinaldo Azevedo lembrou que, em 19 de setembro do ano passado, durante a campanha eleitoral, a própria presidente disse:

“Eu não acredito em ano de remédio amargo. Nós seguramos a crise com salário, emprego e investimento”.

Reinaldo Azevedo citou também o discurso de Lula no programa de TV de Dilma Rousseff, no segundo turno, em 18 de outubro:

“Pedi uma reflexão para alertar que aqueles que diziam que era impossível nascer um novo Brasil são os mesmos que tentam voltar agora e dizem que têm um remédio para todos os males do Brasil. Pode estar certo que qualquer remédio deles tem o gosto amargo do desemprego, do arrocho salarial e da falta de oportunidades”.

Faça o primeiro comentário