ACESSE

Não caia na conversa dos "liberais" do governo: eles só querem o seu dinheiro

Telegram

Guilherme Afif Domingos, assessor de Paulo Guedes, foi entrevistado por Cézar Feitoza. O criador do “impostômetro” quer fazer crer que a proposta de reforma tributária do governo não vai aumentar a carga fiscal.

Isso porque os 120 bilhões de reais gerados para o caixa do governo por uma nova CPMF a ser cobrada de transações financeiras digitais serão compensados por desoneração parcial da folha de pagamentos e elevação da faixa de isenção do imposto de renda.

Não será suficiente para aliviar o peso do estado sobre a sociedade. Pelo contrário. Os pobres vão pagar mais impostos, sim, porque o novo imposto será cumulativo, e a classe média, além da nova CPMF, vai pagar outro grande pedaço do pato, com aumento da alíquota nos salários mais altos, o fim ou a redução das deduções do imposto de renda e aumento da carta tributária sobre o setor de serviços, o que mais emprega, que terá de repassar os novos custos para o consumidor de qualquer faixa de renda.

O requinte de maldade é que Afif e Guedes se declaram liberais e estão no poder graças a um presidente que vendeu a ideia de o que o Brasil teria menos Brasília. Conversa para boi votar. A pandemia é pretexto para que escorchem ainda mais os cidadãos, sem o pudor de pedir, ao menos, que esqueçamos o que eles já escreveram — e disseram.

Não caia na lábia dos “liberais” do governo: eles só querem o seu dinheiro. É mais do mesmo.

Leia mais: Por que eles saem da crise ganhando

Comentários

  • Marco -

    Eles homens o encantam o gado amestrado e os mais pobres por falta de escolaridade e acesso a informação. O resto sabe que quem são os estelionatários que estão no poder

  • Ronaldo -

    Ao PT nunca mais, que já tinha outros Ps, acrescento MINTO nunca mais. Ainda resisto ao Brasil nunca mais.

  • Celso -

    Ledo engano, quanto a esse governo ser mais do mesmo. Ele é muito pior. Inescrupuloso. Por mais que saibamos do pecado, não há como não concordar com certas opiniões jornalísticas. Infelizmente!

Ler 128 comentários