Nota da Abegás

A Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) enviou a O Antagonista uma nota sobre o post Distribuidoras de gás natural tentam barrar projeto que pode aumentar concorrência.

A entidade se diz favorável à abertura do mercado no setor de gás natural e critica “um mercado até aqui monopolista (Petrobras)”.

“A Abegás defende que a solução para incentivar um ambiente de negócios favorável ao mercado livre é o aumento da concorrência na oferta da molécula de gás, por meio da criação de adequações regulatórias e instrumentos infralegais que estimulem novos ofertantes de gás natural, estabelecendo regras para a transição de um mercado ainda monopolista na oferta.

Na visão da Abegás, a Constituição estabelece que cabe aos estados regular o serviço local de gás canalizado por meio de Lei Estadual e, por isso, é inconstitucional estabelecer normas nacionais para o mercado livre. Esse é um entendimento pacificado entre renomados juristas.

A Abegás espera que o Projeto de Lei 6407/13, em tramitação no Congresso Nacional, resguarde o que está estabelecido na Constituição Federal e promova mecanismos que incentivem o surgimento de novos ofertantes de gás natural”, diz trecho da nota.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. “Adequações regulatórias” é código para “tornar a entrada de concorrentes absurdamente cara por via regulatória”, assim como a Anatel faz com às telecomunicações.

Ler mais 3 comentários
  1. “Adequações regulatórias” é código para “tornar a entrada de concorrentes absurdamente cara por via regulatória”, assim como a Anatel faz com às telecomunicações.

  2. Adequações regulatórias é código para “tornar a entrada de concorrentes absurdamente cara por via regulatória”, exatamente como a Anatel faz nas telecomunicações.

  3. Em Curitiba onde a Companhia Paranaense de Gás – COMPAGAS colocou seus dutos para distribuição, o asfalto ou anti-pó em muitas ruas afundaram e até hoje “sentimos” sua competência! Privatizar NUNCA! Concorrência, JAMAIS! Mais um cabide de emprego para canalhas parasitas !!!