A derrota do governo

A revisão da meta fiscal foi adiada para a semana que vem.

Depois de onze horas de debates, o Congresso Nacional conseguiu aprovar apenas o texto-base proposto pelo governo.

Romero Jucá, de madrugada, entregou os pontos e elogiou os petistas.

Ele disse, de acordo com O Globo:

“Não foi uma derrota do governo, foi uma derrota para o cansaço. Muitos deputados, 30, 40 deputados não conseguiram chegar, e faz parte do jogo. Foi uma obstrução legítima, não podemos tirar o mérito da oposição, mas não é nada que crie qualquer problema para o governo. Pelo contrário, na próxima semana, vamos votar aqui. Votada na terça, o presidente da República sanciona e, a partir da sanção, o governo vai ver como ajusta à nova meta sancionada. Manda um ajuste ao Orçamento, porque até a votação do relatório final é possível mandar uma correção.”

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;

Ler 8 comentários
  1. JUCÁ (codinome CAJU),BOTA ORDEM NA SURUBA !!!
    É DEPLORÁVEL TER UM SENHOR DESTE COSTADO,NOS REPRESENTADO,COMO Á MAIORIA DA CLASSE POLÍTICA & POLITIQUEIRA BRASILEIRA.
    LIXO DO LIXO.

  2. Quanto pior melhor?….
    Pensé que essse so fosse o mantra dos comunistas!
    Para infelicidade do redator desde post o principal era votar o texto, em nada vai prejudicar a falta de 5 destaques, os mercados nao vaso derreter
    Difícil o Brasil sair da merda com tanta gente torcendo contra.
    Decepcao!

  3. Estão de sacanagem: Os políticos e o governo.
    Uma meta de deficit maior permitirá que o governo acomode mais gastos, evitando a paralisação de serviços públicos e garantindo verbas para redutos eleitorais de aliados. Mas a nova meta fará aumentar a dívida do governo, que precisará tomar recursos emprestados no mercado para financiar as despesas. E quem paga a conta, quem, quem, adivinhe? – E assim caminha Alice no país das maravilhas, com seu parceiro, o Chapeleiro Maluco que com suas ideias mirabolantes, acaba de decretar a falência da Terra de Santa Cruz. E ainda querem o retorno do Rei das falcatruas em 2018, para acabar de vez com a Babel da AL. Não sei como podem questionar: “A equipe econômica esperava angariar R$ 13,8 bilhões com o programa neste ano, mas deputados e senadores –Que estão entre os grandes devedores– Querem mais vantagens para os devedores em troca de apoio ao Temer e à reforma da Previdência”. Só um milagre salvará essa nação da hecatombe financeira e do “Political eclipse”.