Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Nova proposta para precatórios acalma mercados; Bolsa sobe e dólar desce

B3 registra alta de de 1,29%, aos 110.249,73 pontos. Moeda norte-americana fechou pregão vendido a R$ 5,286, queda de 0,84%
Nova proposta para precatórios acalma mercados; Bolsa sobe e dólar desce
Foto: Jorge Araujo/Fotos Publicas

Após cinco quedas consecutivas, a Bolsa de Valores de São Paulo (B3) fechou o pregão de hoje (21) em alta de 1,29%, aos 110.249,73 pontos. Já o dólar terminou o dia cotado a a R$ 5,286, uma queda de 0,84%. A nova proposta para solucionar o problema dos precatórios, como noticiamos mais cedo, foi bem recebida pelos investidores.

Em reunião na manhã de hoje (21), na residência oficial da Presidência do Senado, Rodrigo Pacheco, Arthur Lira e Paulo Guedes decidiram que o parcelamento de precatórios será descartado.

Filipe Fradinho, analista técnico da Clear Corretora, afirmou que a proposta apresentada por Pacheco, Lira e Guedes foi bem avaliada pelos investidores.

“Os líderes afirmaram que buscarão uma solução para o pagamento dos precatórios e para o financiamento do Auxílio Brasil com respeito ao teto de gastos, o que agradou ao mercado”, disse Fradinho.

Segundo o analista, após o susto de ontem no mercado com o imbróglio envolvendo a Evergrande, a expectativa é a de que o governo chinês traga alguma solução. A construtora chinesa que tem dívidas de US$ 300 bilhões e há risco de calote.

“Em relação ao imbróglio envolvendo a Evergrande, a expectativa é a de que o governo chinês traga alguma solução, embora o Partido Comunista Chinês (PCC) precise colocar na balança o que é mais danoso: o risco sistêmico da insolvência da incorporadora ou o risco moral de resgatá-la. Fora mais uma situação prejudicial de passar a ideia a outras empresas de que elas podem se endividar à vontade que serão salvas”, afirmou.

Mais notícias
TOPO