O Brasil vem depois da Rússia?

A S&P, hoje, cortou a nota de crédito da Rússia para o grau especulativo: BB+.

O Financial Times, comentando a decisão, disse que outros três países em desenvolvimento correm o risco de ter suas notas rebaixadas em 2015: África do Sul, Turquia e, claro, Brasil.

Se Dilma Rousseff acha que o simples fato de ter dado o ministério da Fazenda a Joaquim Levy foi o bastante para evitar um corte da nota de crédito brasileira, é bom que lhe expliquem uma coisa: a S&P só vai sossegar quando os números da economia melhorarem, e eles não vão melhorar enquanto ela se intrometer no assunto.

Assim como Vladimir Putin rebaixou a Rússia, Dilma Rousseff rebaixa o Brasil.