O Fiat Elba de Dilma

Miriam Leitão descreveu perfeitamente a calamidade petista na economia:

“O governo Dilma colhe o que plantou. O PT realmente acredita que ajudando setores escolhidos com juros subsidiados, dados por bancos públicos, o país retoma o crescimento. O partido nunca entendeu a lógica que levou o Brasil a se livrar da hiperinflação e frequentemente adota medidas que conspiram contra a estabilidade conquistada há 21 anos. Ele não participou, e até combateu, o processo de saneamento das contas públicas que levou à Lei de Responsabilidade Fiscal. Ele define com o nome bonito de ‘desenvolvimentismo’ o que é, na verdade, descontrole fiscal, tolerância com a inflação e transferência de recursos para as empresas amigas através de juros subsidiados. As ideias petistas para a economia são erradas e por isso deram errado. Simples assim”.

Ela descreveu também a calamidade petista na política:

“Nada do que acontece ao PT e à presidente Dilma é fruto de conspiração. Eles merecem o desprezo que recebem. O PT foi além da imaginação no rompimento de todas as normas de conduta minimamente aceitáveis. O partido usou o poder temporário para ordenhar as empresas e órgãos públicos, extrair dinheiro para permanecer no poder. Usou o Estado para garantir o poder. Alguns dos seus dirigentes fizeram mais que isso”.

Para Miriam Leitão, porém, ainda não há provas materiais para cassar o mandato de Dilma Rousseff – o Fiat Elba. O Antagonista responde que, até agora, ninguém procurou o Fiat Elba de Dilma Rousseff – nem a Lava Jato, nem Rodrigo Janot, nem o TSE, nem a oposição, nem a imprensa.

Se o inquérito de Gilmar Mendes for adiante, surgirão dezenove bilhões de Fiat Elba.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200