ACESSE

O gosto do coronavoucher

Telegram

Jair Bolsonaro “sentiu o gosto do impacto do auxílio emergencial sobre sua popularidade”, diz Zeina Latif. “Não será mais o mesmo, o que implica maior risco fiscal daqui para frente”.

O resultado deve ser um repeteco das pedaladas de Dilma Rousseff:

“A crise de 2008 foi gatilho para uma miríade de medidas de estímulo. Não tardou para excessos serem cometidos, quando já se recomendava a suspensão das políticas (…).

Dilma dobrou a aposta com estímulos e artificialismos para todo lado. Cruzou o limite da responsabilidade. Vale o dito: remédio demais é veneno. A reeleição foi garantida em 2014 e se adiou uma recessão contratada”.

Leia mais: A 'paz conveniente' reina em Brasília

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 47 comentários