"O que importa é o poder de compra"

Em entrevista à Crusoé, Helio Beltrão, diretor do Instituto Mises, elogia a intuição liberal de Jair Bolsonaro, mas faz reparos às declarações de Paulo Guedes sobre a desvalorização do real frente ao dólar.

“As pessoas não se dão conta de que o câmbio mais alto deixa todo mundo mais pobre. O que importa, para todos nós, é o nosso poder de compra. E o Brasil não é o centro do mundo, como alguns acham. Todos esses produtos que a gente usa são feitos de commodities internacionais, de gente que estuda no resto do mundo, com tecnologia de outros países. Ainda que sejam produzidos localmente, seus custos estão impactados pela moeda forte. Quando o dólar sobe, a tendência é que todos esses materiais fiquem mais caros. Aí nós perdemos poder de compra”, afirma.

Leia a entrevista completa:

‘O que importa é o poder de compra’

Comentários

  • Ryu -

    Óbvio, quanto maior o poder de compra mais o país cresce, principalmente o Brasil, cujo o PIB é extremamente dependente do mercado interno

  • NICOLINO -

    Exatamente, Hélio! Penso como vc.

  • Sérgio -

    O liberal quer controlar o câmbio?

Ler 19 comentários