Os déficits gêmeos agradecem

A manchete mais espantosa do dia é do Valor Econômico: “Déficits gêmeos chegam a R$ 550 bilhões”.

De fato, o Brasil encerrou 2014 com déficits gêmeos – a soma do déficit fiscal com o resultado em conta corrente – equivalentes a 10,9% do PIB.

O Antagonista também encerrou seu primeiro mês de atividade com déficits gêmeos: o déficit do Diogo e o déficit do Mario. Nem Guido Mantega, em seus dias de glória, seria capaz de maquiar nossas contas. Ao mesmo tempo, reunimos uma quantidade exorbitante de leitores, infinitamente maior – e melhor – do que imaginávamos.

Comovidos, os déficit gêmeos agradecem. 


O déficit do Diogo e o déficit do Mario