ACESSE

Para equipe de Tarcísio, Pró-Brasil não precisa furar o teto de gastos

Telegram

A avaliação de auxiliares de Tarcísio Freitas, no Ministério da Infraestrutura, é que a pasta consegue avançar com obras no pós-pandemia sem precisar recorrer ao Orçamento de Guerra, como tem avaliado a Casa Civil.

Em reuniões para definir o Pró-Brasil, a Infraestrutura informou conseguir executar até cerca de R$ 13 bilhões em obras por ano. Para 2020, o orçamento da pasta é de R$ 8 bilhões.

Dessa forma, seria necessário conseguir até R$ 5 bilhões a mais no Orçamento em 2021 para a pasta chegar ao que considera o limite de execução eficiente de obras.

 

Como mostramos, o governo tem tentado conseguir aval para usar recursos extraordinários do Orçamento de Guerra para financiar obras paradas ou inacabadas no pós-pandemia.

A Casa Civil chegou a preparar uma consulta formal ao TCU, mas recuou após críticas de que o governo tentava furar o teto de gastos com a medida.

Com a tentativa frustrada, o Congresso passou a avaliar o uso do Orçamento de Guerra para financiar as obras de infraestrutura. A estratégia envolve executar os recursos extras que devem sobrar até 31 de dezembro e gastar os valores em três anos, para impulsionar a retomada econômica.

Leia mais: Foro privilegiado: o STF dividido de novo

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 18 comentários