Poupança sem ser poupança

Vá entender os jornais brasileiros.

O Globo noticia que “Após oito meses consecutivos de rombo nas contas públicas, o governo central (composto por Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social) apresentou superávit primário de R$ 14,835 bilhões em janeiro de 2016. Isso significa que, depois de um longo período sem economizar nada, o governo federal conseguiu fazer poupança para pagar juros da dívida pública. O resultado é o melhor para janeiro desde 2013, e representa um crescimento real de 28,6% em relação a 2015, quando o superávit foi de R$ 10,4 bilhões.”

Aí você vai ao texto da reportagem e constata que a “poupança” não é tão fantástica assim, porque “o número positivo, no entanto, se deve principalmente a um fator extraordinário. Os cofres públicos receberam um reforço de R$ 11 bilhões relativos ao pagamento da maior parte dos bônus da concessão de 29 usinas hidrelétricas cujo leilão ocorreu no final do ano passado”.

Vá entender.