Previdência para depois, e depois, e depois…

A votação da PEC da Previdência no plenário da Câmara está praticamente descartada para este mês de setembro.

Com a chegada de nova denúncia contra Michel Temer e sem avanços na reforma política, o tema só deverá voltar a ser debatido para valer a partir de outubro.

Rodrigo Maia e Arthur Maia estão convencidos disso.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;

Ler 7 comentários
  1. Pois é, Antagonistas. Já viram no que dão estas maracutaias das denúncias armadas pelo Janot, o Fachim, o Joesley Safadão e, agora, o Funaro? Dão nisso. Atrasos na votação de pautas importantes e perdas financeitras para o país. Não que vocês se importem com isso, é claro, já que o apoio de vocês a tudo o que Janot faz e Joesley Safadão comete indica que o “quanto pior, melhor” é o que vocês querem, seja para fazer berreirinho peçonhento, seja para ver se o dólar sobe. Mas, como já viram, isso não vai acontecer e, portanto, da próxima vez que cogitarem apoiar golpes de estado e maracutaias armadas por meliantes perigosos, pensem duas vezes.

  2. Perceba-se que os que defendem o superávit da Previdência apresentam números (não contestados) que comprovam a tese, ao contrário dos que defendem o déficit que insistem no discurso terrorista, que não comprova nada! Como acreditar no governo?

  3. Eles também deveriam estar convencidos que esse congresso juntamente desse governo não tem a mínima credibilidade para promover reforma de tamanha responsabilidade. Isso está mais que claro para qualquer um que goze do perfeito juízo.