Promoção comercial vira 'cabo de guerra' entre grupos do governo Bolsonaro

Telegram

A Agência de Promoção Comercial (Apex) está no centro de uma disputa entre grupos do governo de Jair Bolsonaro.

De um lado, a equipe de Paulo Guedes defende que o órgão fique subordinado à Secretaria de Comércio Exterior, que será comandada por Marcos Truyjo.

De outro, o grupo ligado ao chanceler Ernesto Araújo quer que a Apex permaneça no Ministério das Relações Exteriores.

Mais cedo, Eduardo Bolsonaro comprou a briga no Twitter: “Até onde sei a Apex fica no âmbito do MRE.”

Atualmente, a Apex está no MRE, mas surgiu ligada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. E o MDIC será absorvido pela nova estrutura do Ministério da Economia.

Mais cedo, Araújo anunciou como número dois do MRE um diplomata de perfil negociador, reforçando a ideia de que a nova diplomacia focará no comércio internacional.

Para evitar atritos, alguns assessores sugerem um modelo de ‘cogestão” entre os dois ministérios, considerando que há “um monte de bons negociadores no Itamaraty”. É uma saída.

Comentários

  • Okles -

    Achei que algum grupo iria defender o fim dela.

  • Rubem -

    A Apex é um cabide de empregos criado pelo Lula em 2003, para arrumar trabalho no exterior para a petezada que não conseguia ser aprovada no concurso para diplomata.... é melhor fechar isso, viu !

  • Marcos -

    O grande mal aqui é a picuinha entre carreiras no serviço público. Os profissionais do MDIC tem um perfil mais técnico e do MRE diplomático. Ambos se complementam, mas precisam saber trabalhar ju

Ler 29 comentários