Reajuste do funcionalismo: Lewandoswki libera ação para julgamento

Ricardo Lewandoswki liberou para julgamento no STF a ação em que ele suspendeu, liminarmente, a medida provisória que adiava em um ano o reajuste do funcionalismo federal e aumentava a contribuição previdenciária dos servidores que ganham mais de R$ 5,5 mil, de 11% para 14%, informa o Estadão.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. José Antonio Debon disse: 13 de Fevereiro de 2018 às 08:25
    Os reajustes do funcionalismo federal tem que ser sucessivamente cancelados até que estabeleça uma equivalência com os vencimentos semelhantes pagos na iniciativa privada.

    Cancela então os editais de todos os concursos públicos e indeniza todos os logrados. Só a correção das contribuições dará uma bela grana. Não ter capacidade para concorrer e produzir na iniciativa privada ou no concurso público dá essas ideias tolas na cabeça dos ressentidos. Mas tem uma coisa que eu pagaria pra ver: esse pessoal de QI baixo sofrendo a concorrência das mentes brilhantes, e até preguiçosas, que deveriam inundar o mercado. Só que não. Prevejo uma fuga de cérebros para os Estados Unidos, agora com Trump e a meritocracia de volta.

Ler mais 22 comentários
  1. José Antonio Debon disse: 13 de Fevereiro de 2018 às 08:25
    Os reajustes do funcionalismo federal tem que ser sucessivamente cancelados até que estabeleça uma equivalência com os vencimentos semelhantes pagos na iniciativa privada.

    Cancela então os editais de todos os concursos públicos e indeniza todos os logrados. Só a correção das contribuições dará uma bela grana. Não ter capacidade para concorrer e produzir na iniciativa privada ou no concurso público dá essas ideias tolas na cabeça dos ressentidos. Mas tem uma coisa que eu pagaria pra ver: esse pessoal de QI baixo sofrendo a concorrência das mentes brilhantes, e até preguiçosas, que deveriam inundar o mercado. Só que não. Prevejo uma fuga de cérebros para os Estados Unidos, agora com Trump e a meritocracia de volta.

  2. Esse “supremo” é mesmo a cara do Brasil…….. Patético.
    O país quebrado, o crime assumindo tudo, sem investimento nenhum em infra, faltando estrada para os caminhoneiros, febre amarela, azul, roxa e o
    “Ministro” libera pauta para…….reajuste do funcionalismo, incluindo ele próprio.
    E aí FORÇAS ARMADAS, vcs vão ficar deitados em berço esplêndido até quando?

    1. Meu amigo, esse chamado “aumento” é parte de um acordo de parcelamento, referente a 13 anos sem qualquer reajuste nos vencimentos, reajuste esse que é previsto na constituição para ser anual. Assim, depois de 13 anos, concedem um reajuste bem inferior ao determinado, dividem em 3 anos, e cancelam como se esse fosse o problema. Os nomeados e indicados custam duas vezes mais que os concursados. Esses são os causadores de rombo, junto com o legislativo e o judiciário. Mas sempre é mais fácil bater nos concursados do executivo…

  3. Os reajustes do funcionalismo federal tem que ser sucessivamente cancelados até que estabeleça uma equivalência com os vencimentos semelhantes pagos na iniciativa privada. Fim dos benefícios e privilégios do governo.

    1. Cancela então os editais de todos os concursos públicos e indeniza todos os logrados. Só a correção das contribuições dará uma bela grana. Não ter capacidade para concorrer e produzir na iniciativa privada ou no concurso público dá essas ideias tolas na cabeça dos ressentidos. Mas tem uma coisa que eu pagaria pra ver: esse pessoal de QI baixo sofrendo a concorrência das mentes brilhantes, e até preguiçosas, que deveriam inundar o mercado. Só que não. Prevejo uma fuga de cérebros para os Estados Unidos, agora com Trump e a meritocracia de volta.

  4. Se o plenário derrubar a liminar do Lixandowiski, que não trata apenas de reajuste do funcionalismo, os funcionários celetistas contratados pelas tais empresas públicas de direito privado desde a suspensão da MP 805, serão demitidos?

  5. Eu to esperando aquele dia (que em breve chegará) em que o ministro da fazendo anunciará em rede nacional a suspensão do pagamento dos funcionários públicos por falta de recursos.

    Darei gargalhadas e tomarei muitas cervejas.

    1. E quando você vai comemorar a auditoria nas contas públicas heim marajá?
      Cortar na carne vocês não querem não né filhote do temeroso?

  6. Se o Presidente é responsável pelas contar públicas e sofre riscos de punição , o ministro STF deveria sofres punições também. A onde já se viu um Ministro do STF dar aumentos para funcionários?

    1. O governo lulopetista (sua bancada+PSDB et caterva) desequilibrou a previdência RPPS com o teto RGPS para os servidores ativos, criou o déficit no sistema de repartição simples. Logo, o teto contributivo sem previsão de fonte substitutiva para o custeio do RPPS é inconstitucional. O Estado da União ficou sem o fluxo das contribuições sobre a diferença entre aquele teto e o rendimento integral. Isso não foi corrigido. Não pode o Executivo “dispor sobre as medidas públicas” que o Legislativo não pode instituir, por violarem a CF, e deve o Judiciário declarar a inconstitucionalidade do desequilíbrio provocado pela última EC. Acabar-se-ia a questão do déficit previdenciário. Restaria o déficit público, que é um problema do PIB reduzido e do tamanho do gasto público como um todo. Eis a questão.

    1. Nesse país pode tudo, o banco Itaú não vai pagar os R$25 bilhões que deve em impostos, muito menos os 5 de maduro.

  7. Atenção Antagonista. O Temer acaba de anunciar a criação da Bolsa Venezuelanos, providência inteligentíssima que rapidamente multiplicará por dez os atuais 40 mil refugiados. O Trump, que preside a nação mais rica do planeta, quer um muro para impedir a entrada de imigrantes ilegais. O Temer, o nosso “tem que manter isso viu”, acolhe e abre as portas para que a Venezuela se mude para cá. Como somos inteligentes. Ah, e o Maduro agradece, claro.