Reforma tributária fica para 2021

Reforma tributária fica para 2021
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Terminou hoje o prazo da comissão mista da reforma tributária. Após pedido de Roberto Rocha, o trabalho do colegiado foi prorrogado até 31 de março de 2021.

A expectativa de Rodrigo Maia era votar a proposta na Câmara ainda este ano, como uma demonstração de força às vésperas da eleição para a presidência da Casa. Mas diversos fatores fizeram com que Aguinaldo Ribeiro não entregasse ainda o relatório.

O principal ponto é que a decisão do STF de vetar a reeleição de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre teve um forte impacto no Congresso. Em meio à agitação nos bastidores, Arthur Lira buscou partidos de esquerda e lançou oficialmente a candidatura.

Já o grupo de Maia se enfraqueceu com a votação no Supremo e até agora não lançou um nome para a disputa. Marcos Pereira, líder do Republicanos, abandonou o grupo para promover uma candidatura solo.

Na disputa pela presidência, o relator Aguinaldo Ribeiro chegou a fazer algumas concessões a partidos de esquerda e prometeu incluir propostas da oposição em seu parecer da reforma tributária.

Por outro lado, o Planalto travava o avanço da PEC, para evitar uma vitória de Maia, Ribeiro e Baleia Rossi (autor da reforma) às vésperas da eleição.

Com o cenário posto, a reforma tributária ficará para 2021. E, se Lira sagrar-se campeão, Paulo Guedes poderá voltar a pensar na criação de uma nova CPMF.

Leia mais: Por 6 votos a 5, maioria no Supremo impõe derrota ao relatório de Gilmar Mendes e proíbe reeleição de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre.
Mais notícias
TOPO