Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Risco de calote da construtora chinesa Evergrande derruba bolsas

A empresa asiática deve US$ 300 bilhões e enfrenta dificuldades para pagar as dívidas. No Brasil, B3 fechou em queda de 2,33%
Risco de calote da construtora chinesa Evergrande derruba bolsas
Foto: B3

O risco de calote da construtora chinesa Evergrande derrubou os mercados em todo o mundo. No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (B3) terminou o dia em queda de 2,33%, aos 108.843 pontos. Esse é o menor patamar alcançado desde 23 de novembro de 2020. O dólar encerrou o pregão com alta de 1,32%, cotado aos R$ 5,35.

As ações da Evergrande caíram 10,24% na Bolsa de Hong Kong, que fechou em queda de 3,3%. A empresa deve US$ 300 bilhões e enfrenta dificuldades para pagar as dívidas. O temor dos investidores é que a quebra da empresa possa afetar bancos em todo o mundo.

A Bolsa de Londres fechou em queda 0,86% e a de Frankfurt, 2,31%. O índice CAC 40, da Bolsa de Paris, registrou baixa de 1,74%.

 

Mais notícias
TOPO